Victor Dellorto, CEO da Deskfy, fez uma entrevista com José Eugênio, consultor de DAM, sobre Digital Asset Management, e ele relatou um pouco sobre as suas experiências no mercado de gestão de ativos digitais e a evolução da área de tecnologia.

A carreira de José dentro da Editora Abril começou em 1986 na área de TI, mas principalmente com o foco direcionado para o departamento de documentação. Em 2012 foi convidado para ser a pessoa responsável pela venda, implementação e pós-venda de um software suíço de DAM chamado Picturepark e ficou até o ano passado -2018-.

Atualmente José possui uma empresa de consultoria focada em Gestão de Ativos Digitais, para poder realizar não somente a consultoria, mas também a prestação de serviços.

Victor: A maioria dos DAM’s que a gente possui atuante no Brasil são estrangeiros. Como foi essa atuação, qual foi a receptividade do mercado? As empresas já sabiam o que era DAM? Conta um pouco de como foi esse processo para nós.

 José: Então, eu não fui o representante, eu trabalhei para o representante oficial da Picturepark aqui no Brasil. Nós tentamos criar o mercado, pois houve pouca receptividade. Eu acredito que no Brasil o DAM tem demandas com outras denominações e outros focos. Um software de DAM ainda não apresenta um resultado de ROI e isso faz com que ele seja subjacente ao processo.

Cerca de 10 anos, ou até menos se trouxe essa demanda, e eu ainda vejo pouca integração. Há tentativas, feitas ou desenvolvidas Inhouse, ou importados de softwares estrangeiros. No entanto, o Brasil é receptivo sim, pelo menos nos últimos 5 anos, houve um aumento em relação à clouds e softwares em indústrias corporativas.

 Um exemplo de player forte aqui no Brasil que englobam atuações de ferramentas é a Adobe, que possui uma plataforma completa.

Victor: Perfeito. Falando agora do descobrimento de abordagem por parte das pessoas que você abordava no processo de vendas, você já usava a terminologia DAM (Digital Asset Management) ou usava alguma terminologia local e em português?

José: Esse é um bom questionamento. No começo eu usava o DAM como cravar o endomarketing, e depois fui adaptando para gestão de ativos digitais, entretanto ainda é meio vago para abordagens de vendas.

Você sabe qual é a finalidade, mas não sabe explicar isso em uma palavra ou denominação. Então, esse Gap realmente existe entre o que um DAM faz, o que ele precisa ou quais áreas de departamentos corporativos precisam.

José: Eu me recordo de um grande player do varejo que estava montando um e-comerce, do varejo nacional e ele falou que não precisava de DAM, pois tinha todo o seu catálogo de imagens, produtos que ia disponibilizar no seu e-commerce. Mas isso não é suficiente, as empresas usam muito mais do que só o catálogo do próprio e-commerce.

Victor: Claro, é insuficiente.

Victor: É acho que esse ponto é bem importante José, porque nós como Deskfy temos uma atuação de DAM voltada mais a times de marketing. Então, dentro da sua experiência os times de marketing eram uma porcentagem relevante perante os negócios que você buscava ou você buscava um time de TI como a gente citou aqui de e-commerce.

Quais as finalidades que você buscava dentro das empresas que poderiam se beneficiar de um DAM.

José: Basicamente direcionado ao marketing. Se vocês estão fazendo isso, eu imagino que vocês estão no caminho adequado. Não vou falar certo, até porque é um pouco diferente, então no caminho adequado.

José: Você vai pra outras áreas de memórias corporativas, museus ou acervos mais específicos, geralmente você esbarra em budget e isso é fatal.

Victor: é, exato, não há muito o que pode ser feito né. E agora comentando sobre a comunidade no Brasil de DAM, você é uma pessoa que já possui experiência nesse mercado.

O que você diria da comunidade. Eu gostaria de escutar um pouco da sua opinião sobre a comunidade de DAM no Brasil.

José: Eu acho que tem dois grupos de possíveis interesses. Primeiro os que se formaram em biblioteconomia e buscam uma atualização e tal.  A outra parte é de TI, você tem que buscar alguém que esteja com uma visão um pouco mais abrangente, um arquiteto de solução talvez.

A pessoa que é responsável por moldar uma solução e que consiga ver que o DAM é um componente importante. Voltando mais para o marketing, é importante a parte de workflow pois esse controle é importante.

Victor: Sim. Nós da Deskfy oferecemos isso. Praticamente descartar e-mail e WhatsApp como meios de compartilhar artes e campanhas entre funcionários, nos oferecemos uma plataforma que centraliza o trabalho do usuário. E a dificuldade é essa, como você bem comentou no inicio da nossa conversa: que é uma dificuldade de aprovação de budget de demonstração de valor. E recentemente eu estava lendo alguns artigos do Ralph Winston e ele comentou que o ROI perante o DAM, ele é o mesmo ROI que você implementar uma ferramenta de e-mail corporativa pra toda sua empresa, ele é como se fosse o alicerce pra que possam ser construídos projetos que terão ROI muito mais tangíveis.

José: Claro, você não tendo uma organização as possibilidades são maiores de perdas de clientes. Esse é um dos pontos que é muito bom falar e fácil de ser assimilado, mas é esquecido.

Victor: Exato.

Victor: Fazendo a seguinte colocação, se você não tem uma organização você não sabe as possibilidades que aquele ativo pode te dar. E o que me intriga é que hoje, no segmento de marketing, cada vez mais a vida o lifecicle do ativo é mais curto. Digamos o horário nobre desse ativo, tempo de “time to Market”…

José: Sim, concordo. Eu acho que isso é um outro Gap dos cursos de marketing, que não abordam, ou se abordam, não abordam de maneira profunda.

Victor: Claro.

José: Que tenha formas de chegar pra esse pessoal que está buscando, fazendo graduação ou tendo cursos de MBA pra que possam ter esse tipo de visão.

Victor: Esse ponto é muito estratégico, que até os mercados avançados como europeu e o americano, que é aquela parte que lança dois ativos e faz um teste A/B, pra saber qual cor do produto ou do ativo vai ter maior performance e otimização do investimento feito na divulgação. E é a partir disso que você começa a linkar os benefícios que o DAM pode te dar. Entretanto, concordo plenamente com você, o DAM no Brasil precisa dessa tangibilidade. Hoje, temos empresas multinacionais no Brasil que utilizam FTP e que não tem nenhum controle sobre quem está consumindo ou quem está fazendo upload dos seus ftps, não se tem um controle sobre direitos de uso de imagens de banco de imagem, e temos casos de multas altíssimas no Brasil.

Então eu queira saber um pouco da sua perspectiva, qual é o tamanho do trabalho que a gente deve fazer como entusiastas de DAM e como fazer para que essas empresas comecem a parar e falar: olha isso não é mais sustentável, precisamos nos atualizar.

José: Temos uma lei muito forte no Brasil, e estão vindo outras normas de fora que revigorizam o sistema de autoridade de imagens. Então, eu acho que isso vai ajudar bastante. Assim aumentando as possibilidades de uma alavancagem de DAM.

Victor: Exatamente, se a gente fosse colocar em indústria; quais são as indústrias que estão mais amadurecidas em relação à DAM?

José: Eu acho que e-commerce é um segmento quente, não sei se estão usando apropriadamente ou não.

Esse é um ponto, eu não tenho profundidade digital pra isso. E o outro ponto é que quem precisa distribuir ativos de marca ou artigos de comunicação precisam ter uma certa homogeneidade na sua linguagem visual, na linguagem para os seus BI’s, franqueador, etc..

Victor: Sim, entendi.

José: Vou pegar um exemplo onde eu sei que tem um DAM, e um DAM pontual: a Petrobras. Eles estão ligados mais nessa parte de comunicação e possuem uma uniformização da comunicação, pois a Petrobras precisa não só internamente, mas externamente também.  O mercado interno é imenso e o público externo eles conseguem alcançar facilmente via portais, mas externamente eles precisam de um ótimo fluxo de comunicação e eu sei que eles usam o DAM para isso.

Victor: Bacana. Então, eu acho que esse foi o intuito de nossa conversa. Fico agradecido por sua atenção e disposição.

José: Claro, sugiro que vocês, Deskfy, procurem industrias que precisem de um software de gestão de ativos digitais, mesmo que não saibam. Espero ter lhe ajudado.

Ficou interessado e quer saber mais ?? Solicite uma demonstração gratuita e converse com um de nossos especialistas. Ficaremos felizes em lhe atender 😀