As franquias comercializam negócios com a marca e seus processos já definidos, por isso diminuem os riscos de mercado aos empreendedores. Simultâneamente tem um custo maior do que se uma empresa fosse iniciada “do zero”.

Primeiramente, o empreendedor deve estar certo de que possui o perfil do sistema de franquias. Após sua tarefa passa a ser encontrar o negócio ideal e consecutivamente planejar seus passos antes mesmo de fazer a assinatura do contrato. Veja o passo a passo clicando aqui.

Conforme Altino Cristofoletti, vice-presidente da Associação Brasileira de Franchising (ABF), a negociação da abertura de uma operação precisa ser realizada com calma. Com isso, preparamos as principais dicas para você seguir e obter um bom resultado! Veja a seguir:

CALCULE QUAIS SERÃO OS INVESTIMENTOS NECESSÁRIOS

Primeiramente você precisa estudar qual é, exatamente, o investimento que irá precisar ser feito, e de que forma funciona o pagamento desses investimentos. Saiba mais sobre como esses investimentos são estruturados clicando aqui.

Dedique-se a fazer todo os cálculos que dizem respeito ao investimento que deve ser realizado, e dessa forma esteja preparado para evitar que haja surpresas indesejadas quando seu negócio já estiver em andamento. Se você tiver a necessidade de contratar uma consultoria empresarial para servir de apoio na maneira como irá gerenciar o seu negócio, não hesite. Esse pode ser o ponto chave para que o funcionamento de sua franquia possa acontecer conforme o planejado.

BUSQUE MANEIRAS DE PESQUISAR E ENTENDER O MERCADO

Fazer uma boa pesquisa de campo é essencial antes de começar a fazer o seu investimento em franquias. Você pode começar a pesquisa pelo lugar onde pretende instalar o estabelecimento, na rua ou avenida, mais precisamente no local em que o negócio deve ser iniciado. Observe qual é o movimento nesse lugar e veja se o público é o ideal.

Outra maneira de obter informações valiosas é buscando ter um contato e conversar com outras franquias que sejam do mesmo segmento e que já fecharam acordo com a respectiva franqueadora. Considere qual é a opinião desses empresários em relação à forma que os serviços são realizados.

CONTRATE UM ADVOGADO E REVISE AS INFORMAÇÕES CONTRATUAIS

Esteja legalmente protegido e bem informado a respeito do que deverá cumprir ao fechar um acordo com a franqueadora, bem como para estar ciente de que você poderá ter direito de que o seu parceiro deverá fornecer e lhe manter atualizado. O mais indicado é que você possa contar com um advogado de sua confiança. Contratá-lo para conferir e também esclarecer as informações contratuais é essencial para que tudo seja muito bem acertado antes mesmo de iniciar essa parceria. Geralmente há determinadas multas contratuais e alguns prazos que a franqueadora deve estabelecer e que precisam de uma revisão detalhada. Essa atenção aos itens descritos no contrato precisa ser feita para que você não precise enfrentar problemas mais adiante.

ESCOLHA UMA FRANQUIA CONFIÁVEL

Busque associações que possuam empresas em que somente fazem parte empreendimentos que seguem critérios de qualidade específicos podem fazer parte da associação como as filiadas a ABF. Informações também podem ser encontradas em guias como o de Pequenas Empresas & Grandes Negócios, que de acordo com Cristofoletti é mais uma forma de medir quanto a franquia é confiável.

AFINIDADE É IMPORTANTE

Selecione os segmentos que combinam com a sua experiência, preferências e valores conforme cita Cristofoletti: “Não é bom escolher uma rede porque ela está na moda. O franqueado em potencial deve escolher um setor com que tenha afinidade”.

O especialista lembra ainda que ajuda considerar quais são os pontos negativos de atuar em cada setor. Observar, por exemplo, qual tempo livre terá de abdicar para estar presente no seu negócio pode ser determinante para a desistência de algumas pessoas em atuar em certos setores.

SEJA UM CONSUMIDOR

Caso não conheça a rede, procure usar os produtos ou serviços que ela disponibiliza. Dessa forma será mais fácil identificar se gostou da maneira que trabalham ou se uma outra opção de negócio seria mais propícia a lhe agradar.

NÃO ENTRE PARA MUDAR COMPLETAMENTE A MARCA

Os franqueados em potencial não devem ter uma vontade forte de trabalhar diferente do padrão da franqueadora. Pois os processos entregues ao franqueado vem sendo aperfeiçoados por anos. Segundo o vice-presidente da ABF, “não se deve ‘reinventar a roda’. É preciso seguir as premissas da franqueadora, pelo menos no curto prazo.”

CONVERSE COM SUA FAMÍLIA

É de praxe as redes informarem o investimento inicial para aberturas e o valor de capital de giro, que enquanto a operação não for lucrativa é utilizado. Porém o que fica por parte do empreendedor e a franqueadora não interfere é a análise e o planejamento do capital de giro da família do franqueado. Estamos falando da despesas de casa. Para isso, o indicado é que “Reúna o cônjuge e filhos e coloque no papel tudo que é gasto em casa. E veja o que é possível cortar sem comprometer o estilo de vida da família.”

Cristofoletti considera ideal que, além de reservar o investimento inicial e o capital de giro da unidade de franquia, o empresário reserve o equivalente aos seus gastos de casa durante seis meses até um ano. E completa com: “É melhor ser conservador. Se sobrar dinheiro, ótimo”.

OBSERVE A COF COM MUITA ATENÇÃO

A Circular de Oferta da Franquia (COF), documento desenvolvido pelo franqueador e que apresenta as condições gerais do negócio e que é entregue ao franqueador quando demonstra interesse em adquirir uma franquia, possui informações que a Lei das Franquias determina que conste na Circular. Deve conter os direitos e deveres da franqueadora e dos seus franqueados, o histórico da franquia, seus balanços financeiros, valores para investimentos e royalties, dentre outros. Ao ler com cautela, pode esclarecer suas dúvidas com a franqueadora.

O documento, aliás, deve ter os contatos dos atuais franqueados da empresa e também as informações de pessoas que desfizeram a parceria nos últimos 12 meses para que você os contate para perguntar quais são os pontos positivos e negativos da franquia e se é um bom negócio escolher a respectiva rede.

Ficou com alguma dúvida ou tens alguma sugestão de assunto para abordarmos? Comente abaixo!