Sydney Sloan participou de uma breve entrevista para o fundo de investimento Stage 2 Captal, onde ela comentou sobre as mudanças que está aplicando no seu time de marketing, acompanhamos a entrevista e colocamos o link original da entrevisto no final desse texto.

Sydney é CMO da Salesloft, uma startup de software para equipes de vendas, além da sua principal função ela também é conselheira de startups, investidora e tem uma sólida carreira como executiva de marketing em empresas como Adobe e Nestle, segue o seu linkedin caso queira se concetar com ela.

Se puder, não corte os investimentos em mídia paga!

Sydney comentou que tem observado o posicionamento de seus colegas CMOs sobre o tópico de midia paga durante o momento em que estamos vivemos, ela tem notado que a maioria das empresas tem optado por cortar os investimentos em mídia paga.

É claro que nós entendemos que as empresas possuem diferentes realidades e que algumas empresas foram mais afetadas financeiramente do que outras, em relação a pandemia. Portando o conselho fica para quem tem a opção de escolher entre seguir com os investimentos em Ads ou encerrar os investimentos em Ads.

Se você é uma das pessoas que permanece com seus budget intacto, deve escolher entre as opções abaixo:

  • Encerrar os investimentos em Ads (para salvar seu budget)
  • Manter os investimentos em Ads (seguindo seu planejamento 2020)
  • Aumentar os investimentos em Ads (aproveitando a oportunidade)

Na operação da Salesloft, Sydney escolheu o caminho mais controverso, aumentando os seus investimentos em Ads, abaixo temos sua explicação que a levou tomar essa decisão além de um exemplo da distribuição de recurso:

Antes da pandemia, seus investimentos em Ads estavam mais focado em geração de demanda, fazendo com que os leads no fundo do funil de marketing se tornassem oportunidades.

Durante a pandemia ela redistribuiu seus novos investimentos, focando 50% em Branding e 50% em geração de demanda.

O questionamento imediato sobre esses investimentos é normal, afinal em tempo de recursos limitados precisamos buscar o máximo de certeza possivel, que o retorno do investimento (ROI) será o melhor.

Para que possamos prosseguir com a análise do ROI que embazou a desição de Sydney, precisamos nos lembrar sobre o que é Branding e o que é a Marca.


O que é Branding?

Branding é a conexão emocional entre o consumidor e uma marca.

Marca é a perspectiva que outras pessoas tem sobre nós, o que eles sentem em relação ao nosso respeito.


Com esse breve e superficial entendimento podemos seguir o raciocínio de análise do ROI.

Sydney defente que ao oferecer uma ajuda aos seus consumidores, com materiais de apoio e compartilhamento de melhores práticas no momento em que eles estão buscando e necessitando de apoio, gera-se um sentimento positivo no consumidor em relação a sua marca.

É diferente de uma relação saturada onde a marca gera um sentimento de ” relacionamento puramente vendas”, onde todas as mídias pagas tentam a todo momento converter o consumidor a realizar a compra, apenas abastecendo os canais de geração de demanda.

Essa é uma abordagem válida para ser feita ao longo de todos os cenários, independente de estarmos em uma pandemia ou não, sendo assim a reflexão fica em entender qual tipo de sentimento a sua mídia paga está gerando para o seu consumidor.

E por quê a crise torna o momento de aumentar os investimentos?

Manter sua marca bem posicionada junto aos seus consumidores, provendo  bons sentimentos com seus clientes em relação a sua marca, defe ser um trabalho contínuo, prezando pela consistência da marca e a disciplina na comunicação.

Em momentos complexos como esse que vivemos, não deve ser diferente, é o momento onde a empresa precisa ser vista, ajudando ainda mais a posicionar sua marca no segmento e mercado.

Consumidores estão precisando de apoio e eles estão mais abertos em serem apoiados, nesse momento as abordagens da marca precisa ser mais humanizada do que nunca, oferecendo ajuda, compartilhando melhores práticas, ealizando curadorias de conteúdo, enfim, essa é a expectativa do seu cliente hoje.

Ter esse posicionamento de marca de forma humanizada, demonstrando empatia em momentos difíceis vai te ajudar ainda mais quando a economia tiver uma retomada e voltarmos ao “normal”. O senso de gratidão dos consumidores com a sua marca é extremamente benéfico.

Ou seja todos aqueles que estão cortando gastos com anúncios por opção e não por necessidade, não estão tendo uma visão de longo prazo, e serão bastante afetados nos próximos trimestres inevitavelmente.

Afinal, sabemos que uma marca não se constrói do dia para a noite, e sim com muita consistência e disciplina.

Deve-se priorizar um resultado de crescimento negativo no segundo trimestre desse ano, porém manter o trabalho com  foco em resultados positivos no terceiro e quarto trimestre do ano, ao contrário de ter um resultado negativo no segundo trimestre sem perspectiva futura de resultados positivos para os próximos trimestres do ano.

Segue o link da entrevista original.

Obrigado pelo seu tempo e até a próxima!

Deskfy